A farsa do aquecimento global: Satélites comprovam que há mais geleiras hoje do que em 2007

16/10/2010 08:59

A Terra aquece? Ou está a ficar mais fria?

Porquê os cientistas não conseguem ter uma visão unívoca?
Em principio não deveria ser assim difícil: os dados são dados, é só preciso lê-los.

Quem costuma seguir o assunto sabe que as coisas não estão bem assim: mesmo nas últimas semanas apareceram notícias sinistras que fazem duvidar da sinceridade dos pesquisadores envolvidos e, consequentemente, das afirmações deles.

Até numa instituição conceituada como a Royal Society a discussão está ao rubro, tudo por causa do último guia oficial segundo o qual o aquecimento estaria num impasse.

Na publicação a Royal Society afirma:

Não existe actualmente suficiente compreensão do derretimento maior e recuo dos lençóis de gelo na Gronelândia e na Antárctica Ocidental para prever exactamente quanto o nível do mar vai aumentar acima do observado no século passado para uma dada temperatura

O planeta não aquece?
Não, e até está mais frio. E esta é a conclusão Global Warming Policy Foundation, que acusa a Royal Society de não ir mais longe:

A maior falha do novo guia é que ele descarta os dados de temperatura antes de 1850 como limitados. O aquecimento global teria uma nova luz se esta informação fosse incluída junto com o Período Quente Medieval, o Período Romano quente da Idade do Bronze e do Período Quente foram tão quente como hoje, pois mostraria informação que ajudaria a determinar se estes períodos foram mais quente que hoje. Uma discussão aprofundada da crescente evidência empírica para a existência global do Período Medieval Quente e suas implicações teria sido uma valiosa adição ao novo relatório.

Neste debate, os media parecem ter já escolhido a própria versão: e, como consequência, o mundo perdeu um dos dois hemisférios.
O “lado Sul” da Terra, de facto, acabou de enfrentar um dos Invernos mais frios, mas as notícias relacionadas pouco espaço encontram.

Eis algumas informações relativas aos meses de Junho e Agosto passados:

17 de Junho de 2010: 500 pinguins africanos morrem de frio por causa da vaga glacial que afectou a Província do Cabo oriental da África do Sul

19 de Julho de 2010: o frio destrói, sempre na África do Sul, centenas de Sistemas Solares Térmicos

5 de Agosto de 2010: Brasil na neve e temperaturas abaixo do zero no Rio da Prata. Mortes de peixes tropicais.

06 de Agosto de 2010: a América do Sul é atingida por uma vaga de frio excepcional. No leste da Bolívia até a -6 ° C . Milhões de peixes que nadavam com valores 20 ° C morrem congelados. Mesmo fim para répteis, aves e tartarugas.

Como resultado, a água tornou-se imprópria para o consumo e o governo proibiu a pesca durante o ano inteiro. As mortes de pessoas e animais na Argentina, Uruguai, Paraguai e sul do Brasil aumentaram.

Um metro de neve cobre os Andes da Patagónia e as comunicações foram interrompidas. Muitas cultivações chilenas de citrinos e abacate foram destruídas, reduzindo as exportações em 40%

9 de Agosto de 2010: Os australianos tiveram a manhã mais fria dos últimos 30 anos. Sidney acordou sob um manto de gelo.

Enquanto isso, a cobertura de gelo do Oceano Antárctico atingiu um valor que é de 1,3 milhões de quilómetros quadrados acima da média de 1979-2008 e continua a crescer.

Isso compensa abundantemente a perda de gelo no hemisfério Norte e estabelece em 20 milhões de quilómetros quadrados a cobertura total de gelo do planeta.

Dois gráficos

E a propósito de Polo Norte. Observem as seguintes imagens, (que podem encontrar no site daUniversidade do Illinois, Departamento das Ciências Atmosféricas, Grupo de Pesquisa Polar):

À esquerda a situação no dia 10 de Outubro de 2007, à direita no dia 10 de Outubro deste ano. É impressão minha ou há mais gelo agora do que antes?

Outra universidade, outra imagem. A Universidade de Bremen (Alemanha) fornece o seguinte gráfico, a extensão do gelo antárctico ao longo dos últimos 8 anos, comparado também com a média desde 1973  até 2008:

Não há redução, pelo contrário: o valor actual fica muito perto da média do período 1973-2008.

Conclusão?

Não temos, nada sabemos de clima, o estudo das mudanças climatéricas é assunto muito complexo e não podemos estabelecer um padrão global com base em simples episódios.

 

Mas é verdade: quando até os pinguins morrem de frio, se calhar algo está mal… 

Fonte: http://paisdaelitenews.wordpress.com/2010/10/15/a-farsa-do-aquecimento-global-ou-sindrome-de-al-pinoquio-gore-satelites-comprovam-que-ha-mais-geleiras-hoje-que-em-2007/