3ª guerra mundial próxima? Coréia do Norte já está preparada para uma guerra nuclear

26/12/2010 16:07

Final de ano, férias, descanso, calmaria... Será? Não vamos no enganar... Enquanto a mídia ilusionista mostra reportagens de pobres homens vestidos de "papai noel", dançando conforme a música pagã da Babilônia. o "bicho está pegando" pelo mundo à fora. Veja a notícia:

O ministro norte-coreano das Forças Armadas, Kim Yong-chun, disse nesta quinta-feira que o país está preparado para travar uma "guerra sagrada" de poderio nuclear com a vizinha Coreia do Sul, após exercícios militares que ele considerou ser uma tentativa sul-coreana de iniciar um conflito.

O ministro repetiu a afirmação feita pelo governo de Pyongyang de que Seul estava dando início a um conflito ao realizar um grande exercício militar, com munição real, na costa oeste da cada vez mais tensa península coreana. 

As declarações do ministro, feitas durante uma marcha para comemorar a ascensão ao poder do líder do país, Kim Jong-il, há 19 anos, foram reproduzidas pela agência de notícias oficial norte-coreana KCNA. 

Nesta quarta-feira, a Casa Branca advertiu a Coreia do Norte contra qualquer reação violenta, e insistiu que as manobras sul-coreanas são, de fato, defensivos. Os Estados Unidos mantêm 28.500 soldados na parte sul da península.

A Coreia do Norte, que normalmente faz ameaças ao Sul, vinha até o momento mantendo uma postura contida em relação aos exercícios militares de Seul. Na segunda-feira (20), primeiro dia da bateria de exercícios, a Coreia do Norte disse que não valia a pena reagir às manobras, já que a Coreia do Sul havia mudado de alvo.

A Coreia do Sul executou nesta quinta-feira as mais importantes manobras militares aéreas e terrestres do ano, que duraram menos de uma hora em Pocheon, perto da tensa fronteira com a Coreia do Norte.

As manobras com fogo real começaram pouco antes das 15h local (4h de Brasília), na área de Pocheon, ao norte de Seul e a 30 km da fronteira. As manobras incluíram 800 soldados, 30 tanques, sete helicópteros, seis aviões de combate, além do uso de mísseis antitanques e lança-foguetes.

Embora já tenham sido realizados exercícios militares nessa área anteriormente, os desta quinta-feira foram os de maior escala armamentista e incluíram testes com mais de cem tipos de armas, como mísseis antitanque, helicópteros de ataque e seis aviões de combate.

RISCO DE GUERRA

Alguns analistas consideram quase inevitável uma nova agressão do Norte contra o Sul. "A questão não é saber se haverá uma nova provocação, e sim quando", estima Peter Beck, analista do Conselho de Relações Exteriores, com sede em Washington.

O especialista diz ainda que Pyongyang necessita deste tipo de ação para fortalecer a posição de Kim Jong-Un, filho do ditador Kim Jong-il escolhido para sucedê-lo.

"O objetivo é apresentar Jong-Un como um líder forte e sólido, unindo as pessoas em torno do regime ao alimentar o temor de uma guerra", argumenta Peter Beck.

Kim Jong-il obteve suas "credenciais" para suceder o pai ao planejar o assassinato do então presidente sul-coreano durante uma visita a Mianmar, em 1983 --que acabou fracassando. Além disso, foi o mentor do atentado contra um avião da companhia sul-coreana Korean em 1987, que matou 115 pessoas.

Vários analistas afirmam que Pequim pediu calma a Pyongyang até a visita do presidente chinês Hu Jintao aos Estados Unidos, marcada para 19 de janeiro.

BELICISTA

Mais cedo, em um comunicado, o governo da Coreia do Norte qualificou o Exército sul-coreano de "belicista". "Estes belicistas dizem que vão iniciar manobras com tiros reais, com a participação de F-15K (aviões de combate), de tanques e canhões em uma base militar de Pocheon", afirma o comunicado, divulgado antes do fim das manobras.

 Na quarta-feira, a Coreia do Sul iniciou manobras navais ao leste da península, no mar do Japão, a 100 quilômetros ao sul da fronteira com o Norte. 'Estes exercícios navais são exercícios fanáticos com o objetivo de invadir a Coreia do Norte', completa o comunicado de Pyongyang.

Na segunda-feira passada, o país já havia realizado controversos exercícios militares perto da tensa fronteira intercoreana no mar Amarelo, diante da ilha de Yeonpyeong, com a participação de navios de guerra, caças de combate e canhões automáticos.

O objetivo do treino é "controlar a preparação" das forças sul-coreanas para uma resposta de forma 'contundente' em caso de uma 'provocação do inimigo', indicou o Ministério de Defesa sul-coreano em comunicado.

As manobras ocorrem exatamente um mês do ataque da Coreia do Norte à ilha sul-coreana de Yeonpyeong, que deixou quatro mortos e 17 feridos e disparou a tensão na península coreana.

Em 23 de novembro, a Coreia do Norte disparou 170 peças de artilharia contra Yeonpyeong. O bombardeio, o primeiro ataque a uma zona habitada por civis desde o fim da Guerra da Coreia (1950-1953), matou quatro sul-coreanos e gerou uma onda de protestos ao redor do mundo.

Segundo o embaixador chinês na ONU, Wang Min, nos últimos dias as Coreias estiveram a ponto de entrar em guerra. "Esperamos que possamos manter a calma", afirmou na terça-feira (21). "Mas as divergências duram décadas, não são de ontem. É pouco provável que o problema possa ser resolvido em uma noite". 

 

Fonte: Folha. Uol e http://www.revelacaofinal.com/2010/12/coreia-do-norte-esta-praparada-para-uma.html#more