60 crianças apresentam reações adversas após receber vacina H1N1. Austrália interrompe vacinação

23/04/2010 16:09

Austrália interrompe vacinação H1N1 para crianças menores de 5 anos após aumento no número de reações adversas.
Mais de 60 crianças no estado australiano da Australia Ocidental (WA) podem ter tido reações adversas à vacina da gripe, informou o departamento do estado de saúde, sendo que uma está em estado crítico.
O ministro da Saúde do WA, Kim Hames, anunciou nesta quinta-feira que a vacinação para crianças menores de cinco anos de idade seria interrompida após uma série de reações à vacina contra a vacina de três cepas, que inclui a da gripe suína.
O médico-chefe oficial da Austrália, Jim Bishop, informou na sexta-feira para os profissionais de saúde em todo o país que estes devem parar imediatamente a imunização de crianças menores de cinco anos, por precaução.
O chefe do Departamento de Saúde de saúde de WA, Dr. Tarun Weeramanthri, disse que um número maior do que o esperado das reações à vacina, que é oferecida gratuitamente pelo governo estadual para as crianças menores de cinco anos, havia sido relatado.
O hospital infantial Princess Margaret's (PMH) relatou 44 crianças com menos de 10 que apresentaram com convulsões febris, dos quais 23 foram relacionados à vacina pediátrica da gripe.
Das 23 crianças, 12 foram internadas no hospital.
A média de idade das crianças que tiveram reações à vacina foi de cerca de dois anos, mas as crianças com idades entre cinco e 10 também apresentaram febre e convulsões.
Dr Weeramanthri disse mais 40 crianças com menos de 10 anos haviam sido levados para outros hospitais do estado com convulsões febris, e uma averiguação estava sendo feita para avaliar se havia ligação com a vacina.
"O Conselho de médicos do estado de WA disse que um quadro clínico consistente está sendo observado, com febre e vômitos no prazo de seis horas e, certamente, no prazo de 12 horas após a vacinação," disse ele.
O departamento de saúde de WA está trabalhando com outros estados e territórios para compilar os dados, mas não houve relatos de um aumento de reações à vacina em outros estados. "É importante para obter uma estimativa de quantos foram vacinados e quantas crianças que potencialmente tiveram reações", Dr Weeramanthri disse.
"O departamento e a Administração de Medicamentos (TGA) informaram que existe uma suspeita inicial sobre o que eles acham que foi a causa do aumento de reações", disse o Dr. Weeramanthri.
"A TGA está trabalhando com os fabricantes em duas linhas de investigação", disse.
"Uma delas é o de dados de todo o país sobre onde nós estamos recebendo todos os sinais de aumento de reações e quais os lotes relacionados".
"O segundo é realmente testar diretamente os lotes detidos pelos diversos fabricantes, para todas as impurezas."
"Portanto, se esta é uma questão sobre a combinação de antígenos ... desta vacina, que tem três partes, em comparação com uma única vacina, é algo que a TGA está averiguando", Dr. Weeramanthri disse.
"Essa é a primeira vez que o antigeno específico foi incluído, mas é preciso lembrar que as cepas de gripe mudam regularmente e entao há mudanças regulares na formulação da vacina da gripe."
"O departamento de saúde de WA respondeu adequadamente à reação e em tempo hábil", disse o Dr. Weeramanthri.
"Assim que tivermos informações dos médicos, em especial no hospital PMH esta semana em que eles estavam preocupados pois estavam vendo algo mais do que aquilo que normalmente vemos, e as pessoas têm de entender que existe uma incidência normal de reação febril após a vacinação em crianças."
"Uma vez que tivemos informações agimos com a brevidade que podíamos."
O chefe de investigacao clinica do Centro Nacional de Pesquisa de Imunização, o Professor Robert Booy, disse que a experiência era que as crianças ao redor da Austrália demonstraram boa tolerância para a vacina.
Dr. Weeramanthri disse que estava esperançoso de um programa de vacinação segura poderá ser concedido uma vez que a segurança da vacina possa ser garantida.

Fonte: www.anovaordemmundial.com