Big Brother: A "Internet das coisas" está a caminho

17/11/2010 00:09

A internet das coisas está a caminho
technofascismblog.com
No caso de muitos de vocês terem estado fazendo coisas mais importantes do que prestar atenção aos últimos desenvolvimentos Techno apocalípticos, tal como plantar seu próprio alimento, ou estocar suprimentos, você não deve ter ouvido da "internet das coisas". E o que é a "internet das coisas?" Bem, da perspectiva de poderosas agências de espionagem, a internet tem uma falha fatal: se você não está nela, eles não podem espionar você. Sem valor. Assim, para contornar esse pequeno inconveniente de privacidade, o último impulso é ter cada objeto físico no mundo online. Isso está correto. Tudo desde o seu carro, até sua torradeira, eventualmente estará conectado e controlável através da internet. Parece que os deuses no monte  Olimpo têm tido tão grande sucesso com o mundo virtual que eles agora querem trazer tudo para dentro dele. E isso significa mais controle para eles e menos liberdade para todos os outros.

A mais recente estratégia de marketing dos arquitetos da "internet das coisas" da IBM é "inteligente". Assim, no futuro próximo, quando a CIA puder logar em qualquer dispositivo que você possui - desde sua escova de dente a sua estante - e determinar quem esteve usando-as e quando e onde, isso não é uma invasão de privacidade - é "inteligente". É claro, na realidade isso é apenas "inteligente" para os controladores temporários do mundo das máquinas. Para o resto de nós a "internet das coisas" é não somente estúpida, é o próximo passo lógico para automatizar o planeta inteiro sob o controle de uma única máquina inteligente. Tempos divertidos pela frente. 

Segundo o WikipédiaInternet das coisas (inglês: Internet of Things) é, em certa medida, fruto do trabalho desenvolvido pelo MIT Auto-ID Laboratory, recorrendo ao uso do RFID e Wireless Sensor Networks. O objectivo foi, desde o início, criar um sistema global de registo de bens usando a single numbering system chamado Electronic Product Code. A Internet das coisas é uma revolução tecnológica que representa o futuro da computação e da comunicação e cujo desenvolvimento depende da inovação técnica dinâmica em campos tão importantes como os sensores wireless e a nanotecnologia.

Primeiro, para ligar os objectos e aparelhos do dia-a-dia a grandes bases de dados e redes e à rede das redes, a Internet, é necessário um sistema eficiente de identificação. Só desta forma se torna possível coligir e registar os dados sobre cada uma das coisas. A identificação por rádio frequência RFIDoferece esta funcionalidade.

Segundo, o registo de dados beneficiará da capacidade de detectar mudanças na qualidade físicadas coisas usando as tecnologias sensoriais (sensor technologies). A inteligência própria de cada objecto aumenta o poder da rede de devolver a informação processada para diferentes pontos.

Finalmente, os avanços ao nível da miniaturização e da nanotecnologia significam que cada vez mais pequenos objectos terão a capacidade de interagir e se conectar. A combinação destes desenvolvimentos criará uma Internet das Coisas (Internet of Tthings) que liga os objectos do mundo de um modo sensorial e inteligente.

Assim, com os benefícios da informação integrada, os produtos industriais e os objectos de uso diário poderão vir a ter identidades electrónicas ou poderão ser equipados com sensores que detectam mudanças físicas à sua volta. Até mesmo partículas de pó poderão ser etiquetadas e colocadas na rede. Estas mudanças transformarão objectos estáticos em coisas novas e dinâmicas, misturando inteligência ao meio e estimulando a criação de produtos inovadores e novos serviços.

A tecnologia RFID que usa frequências de rádio para identificar os produtos é vista como potenciadora da Internet of Things. Embora algumas vezes identificada como a sucessora dos códigos de barras os sistemas RFID oferecem para além da identificação de objectos informações importantes sobre o seu estado e localização.

Estes sistemas foram primeiramente usados na indústria farmacêutica, em grandes armazéns e na saúde. As mais recentes aplicações vão dos desportos e actividades de tempos livres à segurança pessoal. Tags RFID estão a ser implantados debaixo da pele humana para fins médicos e também em passaportes e cartas de condução. Leitores RFIDestão também a ser incluídos em telemóveis. Para além do RFID, a capacidade de detectar mudanças no estado físico das coisas é também essencial para registar mudanças no meio ambiente. Por exemplo os sensores usados numa peça de vestuário inteligente podem registar as mudanças detemperatura no exterior e ajustar-se de acordo com elas.

Perspectiva-se um futuro em que poderemos usar roupa inteligente que se adapta às características da temperatura ambiente, a passagem por um sensor irá indicar-nos qual a manutenção que o nosso carronecessita, poderemos usar os óculos de sol para receber uma chamada vídeo e os cuidados médicos poderão ser prestados atempadamente, graças adiagnósticos mais eficientes e rápidos. No entanto a tecnologia nunca poderá substituir os sentimentos.

Fonte; www.infowars.com e http://www.novaordemglobal.blogspot.com/