Contradições e desconfiança: WikiLeaks, informação ou intoxicação?

30/07/2010 01:05

http://1.bp.blogspot.com/_E-btjrfCR9M/TFAEzP92WzI/AAAAAAAAAWQ/-I3YyUy4D00/s400/wikileaks.jpg

O site Wikileaks reúne e divulga informações confidenciais vindas de pessoas que trabalham para o governo americano.

Este site, fundado em 2006, goza actualmente de uma enorme campanha de divulgação após a revelação, a vários jornais, de informações sensíveis sobre o conflito no Afeganistão.

O que nos revela “Wikileaks”?

A fuga de 91.000 páginas vindas directamente do governo e do estado maior americano, que nos ensina que a guerra é mau, que civis inocentes foram mortos e que os Estados Unidos realizam operações militares secretas para matar líderes inimigos.

O arquivo mais famosos é um vídeo onde jornalistas da Reuters e crianças, entre outros, foram abatidos por soldados americanos de um helicóptero.

Mais interessante, os documentos revelam informações sobre a guerra no Afeganistão e sobre os serviços secretos paquistaneses, a ISI, que secretamente apoiam os Talibãs. De acordo com o Times: “Os documentos sugerem que o Paquistão, aliado de os E.U.A permitem que seus oficiais de espionagem organizem reuniões com os talibãs para estabelecer uma estratégia afim de organizar redes de activistas para lutar contra os soldados americanos no Afeganistão, e até mesmo executar planos para assassinar dirigentes afegãos.”

Há alguns meses atrás, líamos que os E.U.A financiam os Talibãs, Wikileaks diz o oposto. Perturbador.

Denúncia ?

Para quê divulgar “fugas” que apenas servem os interesses americanos, fornecendo argumentos que podem ser usados pelo governo dos E.U.A para estender suas guerras actuais, fugas que não contem qualquer revelação constrangedora. Nenhum alto escalão dentro do estabelecimento americano está seriamente comprometido por essas “fugas”.

Por que não há revelações sobre o sentimento de traição sentida por muitos soldados e oficiais que sabem que a guerra no Afeganistão não tem nada a ver com proteger os E.U.A ou a Inglaterra?

Wikileaks ficou conhecido com este vídeo onde vemos pessoas inocentes mortas por tropas da coalizão. Muito mau … constrangedor … Mas isto não nos diz nada de novo…

O que pensa o fundador de Wikileaks sobre os eventos do 11 de Setembro de 2001?

O fundador da Wikileaks, Julian Assange, está incomodado com a verdade sobre o 11 de Setembro, como ele diz no jornal Belfast Telegraph:

Acerca do 11 de Setembro ? “Sinto-me constantemente irritado por essas pessoas que se distraem com falsas conspirações como os eventos de 11 de Setembro, enquanto que nos fornecemos provas de reais conspirações, sobre a guerra ou a fraude financeira maciça.”

E sobre as conferências Bilderberg ? “É mais ou menos conspiratório. Nós publicamos as respectivas notas de reunião. “

Ele fala como Chomsky sobre Israel: “A América é o problema, não os banksters internacionais que a possuem ou o lobby sionista que a controla…”

Esta técnica é chamada de “contra-fogo” (fogo posto na frente de um incêndio para impedir a propagação) é uma estratégia para antecipar e assumir a contestação para desactivar o protesto real. É usar a verdade para servir a mentira. Esta é a dialéctica hegeliana da acção-reacção-solução. Muitas boas pessoas são levadas por caminhos errados quando elas acreditam e seguem essas pessoas.

Se Julian Dessange embaraçasse o governo E.U.A, ao tempo que ele seria acusado de “alta traição” por divulgar informações que comprometem a segurança do Estado e militar. Ou apenas estaria a seis metros debaixo da terra, o governo E.U.A não sendo conhecido por sua delicadeza para com aqueles que tentam realmente colocar-lhes paus nas rodas.

Suspeito:

Como é que as informações de Wikileaks foram divulgadas pelas manchetes da imprensa internacional ? No passado, eles nunca divulgaram elementos que contestasse a versão oficial sobre os acontecimentos do 11 de Setembro, no entanto, muitos documentos, testemunhas e peritos existem, basta consulta-los. Nenhum título denunciou a falsidade das acusações americanas sobre as armas de destruição maciça, pretexto para uma intervenção militar no Iraque.

Nenhum título deu voz aos economistas que previram o crash da bolsa e a entrada na crise em 2008. E nós deveríamos nos alegrar por eles anunciarem em uníssono que têm em sua posse documentos que permitirão ao público entender o lado negro do conflito no Afeganistão?

Com base nestas revelações, o que podemos pensar de Wikileaks?

É um contra-fogo, ele entrou na estratégia de desinformação do governo E.U.A.

Não denuncia nada que já não se saiba ou que tenha real importância.

Prepara o terreno para uma possível invasão americana no Paquistão ou outras operações em curso.

Veja no site da BBC, Wikileaks “revela” que Bin Laden foi localizado no Paquistão:

“Em agosto de 2006, um relatório de inteligência E.U.A localizou bin Laden numa conferência em Quetta, na fronteira com o Paquistão. É relatado que ele e outros, como o bem conhecido Mullah Omar, estão a organizar ataques suicidas no Afeganistão.”

Então, afinal o diabólico Osama bin Laden não está morto, como pensa a maioria das pessoas que seguem a actualidade,…  ele está vivo, de boa saúde e lidera a Al Qaeda e/ou talvez os talibãs para cometer ataques suicidas contras os americanos e seus aliados.

Ok, bem, agora com o Wikileaks, estamos muito bem informados …

Fonte: Nikopol para AuLapinBlanc.Blogspot.com e  http://www.provafinal.net/?p=776