Costa Rica autoriza chegada de navios norte-americanos. A invasão vai começar!

19/07/2010 02:42

A oposição e movimentos sociais na Costa Rica protestam contra a aprovação pelo Legislativo neste mês de um acordo com os EUA que autoriza a chegada ao país de até 46 navios de guerra americanos, com capacidade para abrigar até 7.000 fuzileiros navais e 200 helicópteros.

O governo Barack Obama e o da costarriquenha Laura Chinchilla, centrista que tomou posse em maio, sustentam que o acordo, que vigorará de julho a 31 de dezembro, é apenas um adendo da cooperação antidrogas bilateral de 1999.

Mas analistas apontam que o texto de 1999 menciona apenas navios da Guarda Costeira, e não da Marinha.

Dizem ainda que o texto contradiz a Constituição do país, que há 60 anos não tem Forças Armadas, proíbe a permanência de tropas estrangeiras e se declarou “neutro” desde os turbulentos anos 1980 na América Central. O acordo passou em 30 de junho no Parlamento unicameral do país, apesar do esforço da oposição de deixar o plenário para que não houvesse quórum.

Segundo a transcrição do debate, os oficiais americanos poderão desembarcar na Costa Rica com uniformes militares e estão autorizados a realizar “todas as atividades que considerem necessárias para o desempenho de sua missão”. Porte de arma não é citado ou vetado.

O acordo foi criticado pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez, e mobiliza grupos esquerdistas que o vinculam a iniciativas militares recentes de Washington na região.

Nosso Comentário:

A presidente Laura Chinchilla tomou posse em maio e já conseguiu fazer o Legislativo aprovar um acordo com os EUA autorizando a chegada ao país de 46 navios de guerra americanos.

O presidente venezuelano Hugo Chávez protesta e a esquerda latino-americano mobiliza seus “movimentos sociais” contra o acordo.

O primeiro problema é que “tem gente por aí” (como o Lula gosta de falar), como o Lula e o MAG, que não aceita que a Costa Rica está agora livre dos comunistas que vêm assolando a América Latina.

O segundo problema é que gente como Chávez e Fidel Castro (de volta à cena) acaba trazendo o “chicote” dos EUA para mais perto da América do Sul. Mexeram com a Colômbia? Dá-lhe bases. Mexeram com a Costa Rica? Dá-lhe navios de guerra.

Quando é que vão aprender? Nunca, nem com a queda da URSS suas mentes desastrosas mudaram e jamais mudarão.

Olhos abertos para os dois problemas. Ainda tem muita gente mesmo na América Latina que não vai aceitar o comunismo vermelho nem pintado de verde na região. O atual governo da Venezuela está a um passo de conhecer esta verdade nua e crua, do mesmo jeito que a ditadura iraniana dos aiatolás.

É claro que o que está sendo feito pelo governo americano na Costa Rica agora neste segundo semestre inteiro é imensamente desproporcional ao combate anti-drogas. Ninguém reativa uma IV Frota para enfrentar traficantes. Então, o perigoso caso do México mereceria uma atenção 10 vezes maior dos EUA.

Pode ser o caso de se expandir o império para baixo, mas é mais provável ser um movimento em paralelo ao que está para acontecer no Oriente Médio com o Irã, pois Chávez reagiria no ato a um ataque de Israel contra seu aliado Ahamadinejad.

Ninguém move um elefante pelo centro da cidade em pleno dia sem ninguém ver. Americanos e israelenses estão se movendo aberta e maciçamente para o Golfo Pérsico e até pela Arábia Saudita.  Estas forças entrando na Costa Rica fazem parte do mesmo jogo de xadrez geoestratégico do momento. Pobres Ahmadinejad e Chávez, a hora da verdade está chegando…

GGN- 46 US Warships Plus 7,000 US Marines On Route To Costa Rica? -- 09/07/2010:

Target Tehran? Israel, US ‘prepare to attack Iran’ -- 28/06/2010:

Castro: ‘US will attack Iran’ -- 13/07/2010:

 Fonte: http://defesabr.com/blog/index.php/17/07/2010/acordo-com-a-costa-rica-autoriza-presenca-de-navios-norte-americanos/