Desastre da BP será pretexto para criação de imposto mundial de carbono. Ex-funcionário denuncia petroleira

14/07/2010 01:22

E a sacanagem Illuminati continua. Tudo para impor no futuro, um imposto mundial sobre o carbono (imposto cobrado por um governo mundial, é claro).

Ex-funcionário da BP diz: Eles não estão interessados em limpar o derramamento óleo

Former Contractor: BP Not Interested In Cleaning Up Oil Spill 120710top

Veja a notícia:

Um ex-empreiteiro de alto nível da BP e soldado de Operações Especiais do Exército Adam Dillon, disse a um canal de televisão de Nova Orleans que a British Petroleum ("BP") não está interessada em limpar o derramamento de óleo, porque a empresa é dirigida por "indivíduos degoladores", que só se preocupam com o dinheiro.

Dillon foi demitido da BP "depois de tirar fotos das quais ele acredita que são relacionadas à utilização de dispersantes para a "limpeza" do óleo." Antes de sua demissão, Dillon foi "confinado e interrogado por quase uma hora", por funcionários da BP.

Dillon era um dos capangas contratados da BP, e era usado para manter repórteres longe dos trabalhadores que estão limpando as praias em Houma, mas após tirar fotos das consequências dos produtos químicos utilizados por BP para limpar o derramamento,  ele virou denunciante .

"Eu vi alguma coisa quando eu estava lá fora", disse ele. "Eu tirei fotos de alguma coisa e as trouxe  o comando as ver, e 12 horas depois de tirar fotos de tudo, fui embora."

Dillon decidiu falar publicamente porque ele colocou seu juramento ao seu país acima de qualquer lealdade à BP.

"Eu nunca terei lealdade para com esta empresa", disse ele. "Vou ter sempre fidelidade ao meu país. E o meu país vem em primeiro lugar.

"O que essa empresa está fazendo neste país agora é simplesmente errado". 

 Como já destacado, como um dos membros criadores da tampa e do lobby comercial, a BP está a colher uma recompensa financeira, se a administração Obama conseguir explorar o derramamento de petróleo para piora crise e avançar com um imposto de carbono.

Se o governo consegue justificar um imposto de carbono aos olhos dos legisladores, apontando para a catástrofe ambiental no Golfo, a BP podem olhar para a frente e ver enormes lucros a longo prazo, depois da subida sustentada do preço do petróleo, aliada a um imposto de carbono que serão repassados aos consumidores.

Os esforços da BP para tampar o vazamento de óleo não é nada para solucionar o problema, enquanto isso, a utilização do produto químico COREXIT é o agravam os danos causados pelo óleo, e ainda também, está causando doenças entre um grande número de trabalhadores da limpeza. A administração Obama igualmente arrastou seus pés, em resposta ao derrame de hidrocarbonetos, à espera de meses antes do aceitar a ajuda oferecida por treze diferentes países, cuja tecnologia sofisticada poderia ter corrigido o vazamento dentro de semanas.

A "reação" da BP com o derramamento de petróleo, revelou-se que a empresa está mais preocupada com bloqueio de acesso à mídia até as informações sobre a situação, do que realmente limpar as consequências do derrame.

 

Fonte: http://www.infowars.com/former-contractor-bp-not-interested-in-cleaning-up-oil-spill/