O Egito ferve: Como a "revolução" egípcia está sendo usada como pretexto para a manipulação Illuminati. Economia local está parada

05/02/2011 00:55

Como o levante popular contra a corrupção, a opressão e a pobreza está sendo guiado pela mão oculta.

Ei Egito - não tem esse homem a qualquer preço…

...ou esses caras também.

Nota: (escudo da irmandade muçulmana, que está por trás de varios movimentos "radicais" islamicos, arabia saudita, paquistao, etc.. financiados pela mesma irmandade no topo da piramide).

O povo da Tunísia e do mundo árabe estão cansados da corrupção, o preço elevado dos alimentos básicos, desemprego, pobreza e opressão. A rebelião é completamente compreensível e há muito esperada. Mas é por isso que é tão importante ser informado das ruas sobre como o mundo é controlado e manipulado e para que fim. Sem que pessoas - pelo menos não as que protestam - sejam apenas criancinhas nos braços.
Alguns pontos a observar:
* As redes de Rothschild-Illuminati-sionistas têm mantido estes tiranos árabes década no poder com apoio político, financeiro e militar década após década - não menos importante, através dos seus vassalos privilegiados, a Grã-Bretanha e os Estados Unidos.
* As mesmas redes são responsáveis pela queda da economia mundial através do seu cartel bancário, que piorou dramaticamente os níveis de desemprego, pobreza e privação, e eles também são responsáveis pelos saltos fabricados no preço dos alimentos e do petróleo para espremer o povo ainda mais.
* À algum tempo expliquei o plano dos Rothschild-Illuminati-sionistas de criar desordem, caos e revolta nos países árabes do Oriente Médio para desencadear a violência e divisão para se adequar as metas do Estado propriedade Rothschild de impostos - Israel.
O agente Rothschild, Mr. "maldade" Henry Kissinger, confirmou a agenda nesta semana, quando disse sobre o que está acontecendo no Oriente Médio: "Esta é apenas a primeira cena de um drama que está começando a se desenrolar.
Então é isso.

 O mundo muçulmano. 

Últimas notícias: Economia egípcia está parada: Preços de alimentos estão subindo.

Um tanque do Exército monta guarda no porto de Alexandria para garantir que ninguém entre, mas o maior problema é que quase nada sai.

Há quatro dias, os contêineres que chegam em navios têm se acumulando no maior porto do Egito, contam os funcionários de empresas de transporte e caminhoneiros de Alexandria. Com as redes de distribuição mal funcionando e a internet desligada desde a noite de quinta-feira, grande parte dos negócios no Egito foram interrompidos.

O Egito nunca foi um país com uma larga margem entre a normalidade e a crise para começar. Ele tem sido suscetível a pressões sobre preços e tumultos. No domingo já havia indícios de que os preços dos alimentos estavam subindo.

Em um mercado de Alexandria, no bairro ocidental de Agamy, o preço da cebola subiu de US$0,25 para cerca de US$ 0,60 o quilo. Os tomates também aumentaram, de US$ 0,25 para cerca de US$ 0,85 o quilo, e o preço do quilo do feijão subiu cinco vezes de US$ 0,35 para cerca de US$ 1,70.

Khaled M. Hanafy, assessor econômico da Federação das Câmaras de Comércio no Egito, grupo que reúne representantes de todas as câmaras do país (ou cerca de 4 milhões de empresas), disse que ainda que eles não tenham números exatos das perdas da economia, o custo dos tumultos já atingiu a casa dos bilhões de dólares. "O efeito foi imediatamente sentido pelas empresas, pois muitas transações são realizadas pela internet, principalmente nos setores que lidam com o exterior", disse Hanafy. Questionado se a liderança da câmara tinha levantado essas preocupações ao governo, ele disse: "Hoje não há governo. Você não tem com quem falar”.

Fonte: http://www.revelatti.blogspot.com/ e 

http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/nyt/no+egito+crise+politica+pode+se+transformar+em+economica/n1237978527073.html