Será 2011, o ano da falência final? Grécia é só o começo da quebradeira

22/06/2011 00:17

Será 2011, o ano da grande falência mundial final?

O que dizemos da Europa? Grécia, Portugal e Irlanda falidos, Espanha afundada no desemprego, Bélgica afogada nas dívidas e 1 ano sem governo, Reino Unido com cofres vazios, e a Itália, Alemanha, França? Além disto, os EUA em contagem regressiva para o seu funeral... O Japão, arrasado pelos Tsumanis e acidentes nucleares, demorará pelo menos uns 50 anos para ser o país de antes... E não podemos nos esquecer do nosso Brasil, a próxima bolha a estourar, por causa da dívida pública que Lula nos deixou, pois enganou o povo, pagando apenas o FMI, mas nos deixando na mão dos banqueiros... 

O que você iria fazer, se soubesse que de um dia para o outro seu dinheiro não teria valor algum?

Inteligentes são os chineses, que abarrotaram seus cofres com ouro... Por que será?

E ainda... Apenas citei os problemas econômicos... E as guerras, catástrofes e etc?

Uma Nova Ordem Mundial seria a solução? É isso que eles querem... É a ordem através do caos...

Prepare-se!

A crise grega está em banho-maria, depois da última intervenção do FMI no ano passado. A Grécia não consegue sair do vermelho e do sufoco, pura e simplesmente não consegue dar a volta. Mais uma vez, a Grécia está com a corda ao pescoço, as expectativas dos investidores poderão sair goradas, visto que quem dá as cartas já não é a UE, o BCE, a Europa ou os gregos, mas sim os mercados, que jogam com a especulação.

Meu Deus, que disparate, não são os mercados, são as agências de rating, que são americanas e que ditam as leis, proferidas pelo sistema financeiro e por alguns estranhos, a este jogo europeu.

Agora será legitimo criar expectativas aos portugueses e aos irlandeses quando as regras do jogo poderão estar definitivamente viciadas?

A Grécia está bem perto da insolvência e a UE perto dum Hara Kiri fatal…

Só que os gregos, não são portugueses ou irlandeses, saíram para a rua, para desespero dos restantes europeus. Hoje cercaram o Parlamento onde estão a ser discutidas mais medidas. Não sei como vai acabar a noite em Atenas.

Hoje mesmo, o Reino Unido veio pedir a insolvência da Grécia. Mas, que estranha moralidade, a britânica, e o que dizer há uns meses atrás, quando o Chanceler do Tesouro encontrou os cofres vazios?

Não entendo outra coisa, como pode a Bélgica sobreviver à crise, quando está sem governo há mais de um ano e quando a dívida soberana belga ultrapassa a portuguesa e se eleva a 131%?

Será legitimo tudo isso?

Por outro lado, não consigo entender a posição da Alemanha e da França e dos bancos destes países, que tem lá tanto dinheiro empatado, porque motivo não emprestam o dinheiro aos gregos?

Está bom de ver se os gregos forem para o charco, os alemães e os franceses vão em suite especial.

Afinal pouco significamos para os nossos parceiros europeus. Portugal, Grécia e Irlanda representam só 2% destes.

Ou será que não nos contaram tudo?

Ouvi dizer que o BCE está enterrado na Grécia…

Creio que se a Grécia cair, não é só Portugal e a Irlanda que vão para o charco, a Alemanha e a França, são os primeiros a irem de vela, pois tem, lá muito dinheiro empatado (reafirmo esta ideia, que o Profº Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de frisar no último Domingo).

Estranha Solidariedade Europeia, com amigos destes mais vale cada um ir à sua vida.

Outras leituras:

http://aeiou.expresso.pt/ingleses-querem-gregos-na-bancarrota=f656915

Isto para não falarmos dos States:

 

http://aeiou.expresso.pt/fitch-admite-bancarrota-na-grecia-e-estados-unidos=f656936 

Fonte da notícia: http://www.kafekultura.blogspot.com/